O que fazer no Uruguai em 5 dias


Estava à procura do próximo destino e uma foto me chamou bastante atenção! Era a Casapueblo, que fica localizada em Punta Ballena, nos arredores de Punta del Este no Uruguai. O lugar me encantou logo de cara e então resolvi montar um roteiro onde eu pudesse encaixar este atrativo. Foi então que descobri que um país tão pequeno, era tão rico, e tão cheio de coisas lindas e belezas naturais…assim venho descrever nesse roteiro, o que fazer no Uruguai em 5 dias!

 

Pela proximidade com a Argentina, montei o roteiro de uma maneira que depois do Uruguai, eu já fosse para Buenos Aires. A viagem durou 9 dias e passei 4 dias e meio no Uruguai. Vou contar para vocês como foi essa experiência surpreendente.

 

O Uruguai é um país de pouco mais de 3,5 milhões de habitantes. Faz fronteira do com o Sul do Brasil e devido a isso, as bebidas que levam mate, são tão consumidas em ambos os países. Montevidéu é a cidade latino-americana com maior qualidade de vida, sendo o turismo uma das atividades econômicas mais importantes. Escolhemos ir em abril, período em que a estação predominante é o outono. Praças cheias de folhas, tempo agradável e pouca chance de chuva. Mesmo assim, venta bastante e isso faz com que a sensação térmica diminua muito.

 

 

ROTEIRO

 

 

Dia – 01:

Partimos de Brasília, num voo com conexão em Guarulhos até Montevidéu. Chegamos por lá mais ou menos ao meio dia. O aeroporto é longe do hotel que ficamos hospedadas no centro. Depois de mais ou menos 40 minutos até hotel, só deixamos nossas coisas e fomos almoçar no Restaurante El Fogón, excelente lugar para repor as energias e começar realmente nossa trip.

 

Ficamos no Hotel Califórnia (simples, mas aconchegante e bem localizado), bem próximo a Plaza Independência, onde se encontram os principais prédios do governo uruguaio.

 

Começamos nosso tour pela Plaza Independência (Estátua do General Artigas, Mausoléu do General Artigas, Teatro Solís, Palácio Salvo…) e fomos até a Ciudad Vieja, que fica bem em frente a estátua.

 

Plaza Independência
Plaza Independência
Ciudad Vieja

 

Depois de conhecer a Ciudad Vieja, fomos até Plaza de la Constituicion, onde se encontra a Catedral Metropolitana de Montevidéu. Como nossos voos foram durante a madrugada, estávamos muito cansadas, então só jantamos e caímos na cama.

 

 

Dia – 02:

Ao acordar, perguntamos na recepção como poderíamos pegar um Bus Turístico.

 

No caminho do hotel até o Mirador, passamos pela Avenida 18 de Julio, onde fica a famosa Puente de los Candados, bastante conhecida por casais que deixam um cadeado com suas iniciais com a promessa de que, ao fazer isso, estarão destinados a regressar a Montevidéu e permanecerem unidos para sempre.

 

Fuente de los Candados

 

De lá seguimos para nosso destino. Pelas indicações do recepcionista do hotel, o Bus Turístico passaria as 9h da manhã em frente ao Mirador Panoramico de la Intendencia. E assim fizemos! Pagamos mais ou menos R$80 por um ticket de 24 horas.

 

A nossa primeira parada foi no imponente Palácio Legislativo de Montevidéu. O Palácio é a sede da Câmara dos Deputados e do Senado uruguaio. Prédio que chama a atenção pelo tamanho da sua arquitetura, poucos sabem que existe visita guiada na parte interna por apenas $70 pesos uruguaios. A visita começa pelo Salão Central, cheio de detalhes em ouro e pinturas lindíssimas. Passamos pelos plenários da Câmara e do Senado até chegarmos a maravilhosa biblioteca do Palácio. A guia falou em espanhol pausadamente e todos, mesmo que não sabendo falar espanhol, compreendiam perfeitamente as explicações.

 

Palácio Legislativo
Biblioteca Palácio Legislativo

 

A segunda parada foi no Mercado del Puerto. Sinceramente, esperava bem mais. Demos algumas voltas para conhecer (muitos restaurantes e lojas de artesanato), pegamos a indicação do Restaurante El Palenque no Trip Advisor. Excelente! Podem ir sem medo.

 

Mercado del Puerto

 

A terceira parada foi no Estádio Centenário. O Estádio como já podíamos esperar, é bem velho e a conservação é bem precária. Mas o museu do estádio é incrível. E claro, eles enfatizam a vitória do Uruguai sobre o Brasil no Maracanã na Final da Copa de 1950. Vimos posters de Luis Suárez (o Neymar deles) para todos os lados. Vale a visita! Em seguida, fomos até as arquibancadas e imaginar quantos clássicos que aconteceram por ali, tantas histórias… para quem gosta de futebol ou mesmo de história, é um ponto turístico imperdível. Valor para visitação do Estádio e do Museu é de $100 pesos uruguaios.

 

Estádio Centenário
Estádio Centenário

 

Após a nossa visita ao Estádio Centenário, pegamos o Bus Turístico até as famosas Ramblas de Montevidéu, onde se encontra o também famoso letreiro da cidade. Aproveitamos o pôr do sol para tirar umas fotos bem bacanas.

 

Letreiro

 

Após toda essa andança, fomos para o Montevideo Shopping Center jantar e em seguida retornamos ao hotel para descansar.

 

 

Dia – 03:

Por indicação também do recepcionista do hotel, fechamos um tour completo com um taxista até Punta del Este. Tomamos café mais cedo e saímos por volta das 8h. Na estrada ele foi nos contando a história do Uruguai a medida que passávamos em frente a alguns monumentos históricos, prédios importantes como o do Jornal El País e a casa do ex Presidente José Mujica (famoso por pilotar seu fusquinha pelas ruas da capital). Na ida para Punta del Este, ele foi parando em pequenas cidades e nos mostrando as suas peculiaridades.

 

Primeira parada foi em Atlantida – Canelones, para conhecer as geladas praias uruguaias e o monumento Ninho da Águia a beira mar, esculpida na pedra com o formato de uma águia.

 

Atlantida

 

Partimos e uns 50 minutos depois, chegamos a Piriápolis, cidade-balneário a mais ou menos 100km de Montevidéu. Almoçamos por lá em um restaurante com vista para o mar e aproveitamos para comemoramos o aniversário de uma das minhas amigas, brindando com uma taça de medio y medio, bebida tipicamente uruguaia.

 

Piriápolis

 

Dessa vez, foi a hora de partimos em direção a Punta del Este, mas antes, passamos por Punta Ballena, lugar onde foi construída a Casapueblo, aquele lugar que eu citei no começo de tudo e que me inspirou a viajar para o Uruguai. Mas fizemos uma visita somente pela parte de fora, pq o ponto alto da Casapueblo é no pôr do sol. Tiramos algumas fotos por ali e partimos para o centro de Punta del Este.

 

Chegamos ao famoso monumento que representa a cidade em tantas fotos, o Monumento al Ahogado (também conhecido como La Mano ou Mano de Punta del Este), que representa um homem submergido com os 5 dedos para fora da água. Foi criada pelo escultor Mario Irarrazábal, que também tem esculturas em formato de Mão no Chile (Antofagasta), Itália (Veneza) e na Espanha (Madrid). O ponto turístico fica nas areias da 1ª parada da Playa Brava.

 

Los Dedos

 

Próxima parada foi no Hotel e Casino Conrad, famoso para os brasileiros que acompanham ou acompanhavam os programas do Amaury Jr., que sempre eram apresentados lá nas férias. Não entramos, só tiramos fotos lá fora mesmo.

 

Conrad

 

Partimos para aproveitar o espetáculo do pôr do sol na Casapueblo. Mas no caminho, passamos pela também famosa Ponte Barra Leonel Vieira, ou mais conhecida como Ponte Torta. Confesso que me deu um frio na barriga. Kkkkk

 

Chegamos a Casapueblo e já adquirimos o ingresso na bilheteria por $200 pesos uruguaios. Como chegamos um pouco antes de começar de fato o pôr do sol, tiramos muitas fotos até a cerimônia começar. A “Ceremonia del Sol” acontece todos os dias e é narrada com a voz do artista Carlos Vilaró (já falecido), dono e construtor da Casapueblo. A cerimônia termina exatamente quando o sol se põe. É incrível!! Digo e repito, valeu muito a pena ter feito esta viagem para poder viver este momento. Para quem não sabe, a Casapueblo é um hotel em estilo grego e é todo construído em frente ao mar, exatamente na direção que o sol se põe. Se tiver vontade de se hospedar por lá, reserve com bastante antecedência, pois a procura é enorme.

 

Entrada Casapueblo
Casapueblo
Casapueblo
Casapueblo

 

Após o pôr do sol, tomamos o caminho de volta, foram quase 2 horas (120km) bem cansativos. Passamos novamente no Shopping para jantar e voltar para o hotel.

 

 

Dia – 04:

Nosso dia já começou de malas prontas, já que nosso próximo destino era Colônia del Sacramento, a cidade uruguaia mais próxima a Buenos Aires, apenas 50km atravessando o Rio da Prata com uma embarcação. Fica a 180km de Montevidéu.

 

Utilizamos os serviços do mesmo taxista, mas seguimos em direção oposta a Punta del Este. Passamos na cidade de Puntas Valdez para trocar pesos, comprar água e visitarmos uma linda Igreja na praça central da cidade. Seguindo viagem, mais ou menos 1:30 depois, chegamos na entrada de Colônia del Sacramento, toda margeada por coqueiros imperiais. Linda!

 

Entrada de Colônia

 

Você sabia que a cidade foi colonizada por portugueses? Na época do Tratado de Tordesilhas, Colônia era um importante ponto disputado por Portugal e Espanha. Portanto, foi colonizada por portugueses, mas depois foi conquistada pelos espanhóis. A arquitetura tem característica dos dois povos, tornando Colônia um lugar ainda mais interessante. As construções com tijolos eram herança dos espanhóis e as construções com pedras, dos portugueses.

 

Deixamos nossas malas no Hostel El Viajeiro, já que íamos passar somente uma noite em Colônia e partimos para conhecer os pontos turísticos.

 

Primeira parada foi na Plaza de Toros em Real de São Carlos, local onde antigamente eram praticadas as famosas touradas espanholas. Visitamos somente por fora, já que o acesso a parte de dentro não é permitida. Logo ao lado, fica o Museo del Ferrocarril (de trens antigos).

 

Plaza de Toros
Plaza de Toros

 

Depois partimos para o Barrio Historico de Colônia. Almoçamos no Restaurante Pulpería de los Faroles, com vista para os principais pontos turísticos do Barrio Histórico. Indico a milanesa. Estava divina!

 

Após o almoço fomos conhecer de perto o Barrio histórico, que é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO. Começamos pelas Ruínas do Convento de San Francisco e as ruelas aconchegantes, cheias de flores e carros antigos abandonados. Calle de los Suspiros e Calle de San Francisco são as mais famosas, quando for, procure por elas.

 

Calle de los Suspiros
Calle de los Suspiros
Calle San Francisco
Ruínas e Farol de Colônia

 

Em seguida fomos conhecer a parte beira-rio, banhada pelo Rio da Prata. Passeamos até a parte da Muralha, onde se encontra o Portón de Campo, que era considerado a entrada da cidade antigamente. Costumam dizer que é o ponto de partida para a visitação do Barrio Histórico. Logo em seguida fomos até a Plaza Mayor e retornamos para as Ruínas do Convento, para subir no Farol de Colônia e presenciar um dos pores do sol mais bonitos da minha vida.

 

Muralha

 

A subida ao Farol custou $20 pesos uruguaios e vale demais! Vocês não tem noção da energia daquele lugar. Deixem sempre para subir no pôr do sol, porque é fantástico.

 

Farol
Farol

 

Logo após o pôr do sol, ainda demos umas voltas pelo Barrio Historico e retornamos ao Hostel, arrumamos nossas coisas, tomamos banho e saímos para jantar. Dormimos em um quarto compartilhado com um banheiro privativo. Éramos 5 amigas e dormiu mais uma gaúcha no nosso quarto, foi bem tranquilo.

 

 

Dia – 05:

Mais uma vez arrumamos nossas malas e partimos bem cedo para o Terminal Fluvial de Colônia, onde pegaríamos o Buquebus (embarcação que faz o trajeto de 50km de Colônia del Sacramento para Buenos Aires pelo Rio da Prata). O Terminal é super organizado! Parecia que estávamos em um aeroporto mesmo. Muito bacana! Ainda não tinha viajado de um país a outro em embarcação.

 

Buquebus
Buquebus

 

No trajeto balança um pouco e para quem sente enjoo, como eu, aconselho tomar dramin ou plasil, para não estragar a viagem. O trajeto até Buenos Aires é de aproximadamente 1 hora. Pagamos menos de R$100 pela travessia (não me lembro com exatidão), mas é importante lembrar que estes bilhetes podem ser comprados com antecedência no Terminal de ônibus de Montevidéu, pelo site da Buquebus ou no Terminal Fluvial em Colônia. Porém, fique atento! Deixar para última hora, pode atrapalhar sua viagem.

 

Considerações:

– O povo uruguaio é simples, solícito e adora um mate;

– Fui para o Uruguai em abril de 2015, troquei dinheiro a R$1 por $8 pesos;

– Os valores dos passeios podem ter sofrido alterações. Confiram nos sites.

 


 

Este artigo foi escrito por: Pâmella Miranda

 

Pâmella em Foz do Iguaçu

Pâmella é formada em Administração de empresas e trabalha como produtora de eventos, mas suas verdadeiras paixões são: fotografia, aventura e viagens.

 

IG de Viagens: @tripsdapam

IG Pessoal: @pamellamiranda

 

 

 



 

ORGANIZE SUA VIAGEM

 

Organizando sua viagem através de nossas parcerias abaixo, você garante as melhores condições e nos ajuda a manter o blog.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Show fb like box