Roteiro de 5 dias em Foz do Iguaçu, Argentina e Paraguai


Meio que no susto vimos uma promoção para Foz do Iguaçu, saindo de Congonhas e o preço de R$584 (aéreo e hospedagem) estava muito atraente, então nem pensamos duas vezes e compramos! Sendo assim preparamos este roteiro de 5 dias em Foz do Iguaçu, Argentina e Paraguai (3 países em uma viagem só) Legal né?

 

A viagem começou por Brasília e como de costume, um pouco turbulenta. Kkkkkk

 

Chegamos ao Aeroporto de Brasília atrasadas e não poderíamos mais despachar nossas bagagens da maneira convencional, foi ai que nos deram duas opções: comprar outra passagem ou despachar por cargas. Fomos até a loja da LATAM no aeroporto, pesquisamos pelo próximo voo, mas as passagens estavam quase R$2000 para Congonhas, foi então que desistimos dessa possibilidade e resolvemos despachar por cargas. As duas malas ficaram R$240 e poderíamos pegar a noite no Terminal de Cargas de Congonhas. Corremos para o embarque sem malas e conseguimos entrar na aeronave no último minuto. Chegamos a São Paulo, passamos o dia conhecendo a cidade e a noite fomos ao Terminal pegar nossas bagagens. Tudo certo, no outro dia de manhã, partiríamos para Foz do Iguaçu para dar início a nossa viagem.

 

Nosso voo era às 10 da manhã, mas como São Paulo tem um trânsito super caótico e em Congonhas estão pedindo para chegar com 2 horas de antecedência para voos nacionais, resolvemos madrugar. Às 8 da manhã já estávamos com as bagagens despachadas e sentadas na sala de embarque esperando dar a hora do nosso voo.

 

Partimos com destino a Foz conforme o horário do voo. Sentei na janela do lado esquerdo da aeronave e consegui ver alguns pontos turísticos de Foz, como: Usina de Itaipú e Ponte de Amizade. Gostaria de ter visto as Cataratas, mas creio que deveria ter me sentado do outro lado.

 

Vista de cima de Itaipú – vertedouros abertos

 

Desembarcando em Foz, fomos pegar nossas malas. O aeroporto é muito pequeno, mas as malas demoraram muito para chegarem a nossa esteira.  Mais ou menos 12:30 conseguimos sair do aeroporto e pegamos um táxi com destino ao nosso hotel. Foi ai que me assustei e vi como táxi é caro em Foz… acho que pagamos quase R$50 até nosso hotel, que ficava a 20 minutos do aeroporto. Apesar do taxímetro, a bandeira é bem cara.

 

A partir de agora, contarei como foram nossos 4 dias em Foz do Iguaçu.

 

 

ROTEIRO

 

 

DIA – 01:

 

Ao chegarmos ao Hotel Manacá, deixamos nossas malas e partimos para a Ponte da Amizade. Pegamos um táxi que, 10 minutos depois, nos deixou bem no começo da ponte e pagamos R$15 pela ida.  A ponte tem 800 metros e pode ser atravessada facilmente pela passarela de pedestres. Não me senti ameaçada e nem desprotegida momento algum, apesar de quando estava pesquisando sobre essa travessia, havia lido muitos relatos sobre pessoas assaltadas e etc…

 

Ponte da Amizade

 

Levamos de 10/15 minutos para atravessar a Ponte da Amizade saindo de Foz sentido Ciudad del Este, a pé. Chegando ao lado paraguaio, corremos para pegar nosso carimbo. A Aduana Paraguaia fica bem a direita de quem está entrando pela ponte. Não tem erro!

 

Entramos no “Control Integrado de Fronteras” e apresentamos nossos passaportes. Pelo que percebi, eles não tem costume das pessoas quererem comprovar o período de permanência no país. A primeira pergunta que nos fizeram, foi o porquê queríamos o carimbo! Mas, o que importa é que saímos de lá com ele. Kkkkkkk

 

Depois da Aduana fomos almoçar, já que estava perto das 14h no horário brasileiro (lembrando que o Paraguai, apesar da pouca distância, é 1 hora a menos que no Brasil). Entramos no Shopping del Este, que fica atravessando as ruas que dão acesso ao Paraguai, bem do outro lado, já na saída da ponte. Na praça de alimentação, paramos em um restaurante de comidas árabes chamado Ali Babá. Esfihas e kibes maravilhosos, acompanhados de um molhinho de alho divino. O que eu não sabia e descobri nessa viagem, é que Foz do Iguaçu tem a maior colônia de imigrantes árabes do Brasil, por isso, a cultura e culinária árabe são tão marcantes na cidade e nos arredores dela.

 

Saindo de lá, começamos nossas compras. Paramos na loja VIP, no próprio Shopping del Este, onde encontramos cremes originais da Victoria’s Secret por R$12, valeu a pena demais. No quiosque central do Shopping, foi o único local de todos que andei em Ciudad del Este, que achei imãs de geladeira bonitinhos para colecionadores, como eu.

 

Ciudad del Este

 

Do Shopping del Este, fomos direto para a loja Compubrás, que fica no Shopping Vendôme. A loja é uma das únicas autorizadas da Apple e da GoPro, e nelas vocês podem comprar sem medo, porque tudo é original mesmo. Renovamos estoque de bateria da GoPro e cabo para iPhone. Bateria a R$55 e cabo para iPhone a R$52, enquanto aqui no Brasil, ambos custam uma média de R$100 a R$120 cada.

 

Depois fomos até a famosa loja de cosméticos e perfumaria Monalisa. Por mais que muitas pessoas me alertaram que ela seria a mais cara, foi a loja mais barata que achei para os perfumes que eu queria comprar. Valeu super a pena!

 

A hora no Paraguai não passa, ela voa! Foi o que deu tempo de fazermos nessa tarde que passamos em Ciudad del Este, já que as lojas começam a fechar as 16h (horário paraguaio). Na volta, passamos na Aduana que fica ao lado do Shopping del Este para pegarmos nosso carimbo de saída e voltamos pela ponte. Na volta, fizemos da mesma maneira, pegamos um taxi até o hotel que nos cobrou R$15. Chegando ao hotel, descobrimos que lá tinha uma agente de turismo vendendo pacotes para os passeios em Foz e também uma lojinha de souvenir muito baratinha e com lembrancinhas lindas.

 

Resolvemos sentar com a agente e fechar os passeios para os próximos dias, já que estávamos com os dias bem apertados e precisávamos nos planejar.

 

Como fomos de avião para Foz e andar de táxi lá era muito caro, fechamos todos os passeios com transporte + guias incluídos e foi a melhor coisa que fizemos. Abaixo colocarei os preços que pagamos pelo combo e quais passeios estavam incluídos nele.

 

O que paguei pela agência:

Ice Bar Iguazu (Puerto Iguazu – Argentina) + transporte

Cataratas do Iguazu (Puerto Iguazu – Argentina) + transporte

Cataratas do Iguaçu (Brasil) + Parque das Aves + Macuco Safari + transporte = R$498
Existem outras opções de se locomover em Foz. Vocês tem a opção de alugar um carro ou utilizar um transporte público, mas confesso que nenhuma das duas me agradou muito, então, preferi contratar pela agência mesmo. Após fecharmos os passeios, fomos para o quarto descansar, pois o próximo dia reservava muitas maravilhas.

 

DIA – 02:

 

O segundo dia fomos conhecer 1 das 7 Maravilhas da Natureza, as Cataratas do Iguaçu

 

Começamos o passeio bem cedo e paramos em uma lojinha chamada “Três Fronteiras Artesanato e Chocolate Caseiro”. Não caiam nessa, preços de souvenir muito altos e os chocolates são horríveis. Só desperdicei dinheiro nessa loja.

 

Saindo de lá fomos para o Parque Nacional do Iguaçu. Começamos nosso passeio pegando um bus até o começo das quedas. Somente 25% das 275 quedas estão do lado brasileiro.

 

O primeiro contato com elas é impressionante. As primeiras que avistamos, são as quedas do lado argentino. Seguimos pela trilha e o contato com os respingos vai ficando mais intenso a cada metro. Me disseram para comprar capas de chuva, mas não vale a pena, afinal, vocês vão se molhar com ou sem capa de chuva. Na garganta do diabo então é impossível não molhar.

 

Cataratas do Iguaçu
Cataratas do Iguaçu

 

A passarela de acesso à Garganta do Diabo é gigante e é o contato mais próximo que você terá com as quedas do lado brasileiro. Tire muitas fotos, procure os arco-íris e aproveite o momento, pois, não é todo dia que conhecemos 1 das 7 Maravilhas da Natureza.

 

Procure o arco-íris e seja feliz
Lugar maravilhoso

 

Fomos até a praça de alimentação para almoçar, mas não achei os preços tão caros quanto li em relatos. Pedi um hambúrguer com batatas fritas e refrigerante e achei o preço justo.

 

Não sei vocês, mas eu fico muito mal humorada quando estou com fome e conseguir comer naquela praça é um teste de paciência. Existem mil quatis pelo Parque e onde tem comida eles estão. Tive que disputar a minha batata frita com um deles, tem lógica? Achei simplesmente irritante comer e ficar preocupada se eu ia ser roubada por quatis. Creio que a melhor opção seria uma praça de alimentação que tivesse pelo menos uma tela, para evitar a entrada deles e deixar os turistas mais a vontade. Muito cuidado com suas mochilas, principalmente se tiver comida, eles passam a mão mesmo e não adianta correr e nem tentar pegar porque eles são ágeis, sem contar que podem te ferir gravemente com mordida ou unhada.

 

Dentro do Parque Nacional do Iguaçu, podemos pegar um ônibus gratuito que te leva até o passeio do Macuco Safari. Neste passeio não é necessário fazer pré reserva, já que os barcos saem toda hora e atendem rapidamente a demanda. O passeio começa em um carrinho que simula aqueles de safári e passa por dentro da mata que cerca o Parque. A guia foi parando e explicando sobre a flora e a fauna do local, é bastante interessante. Descemos no receptivo do passeio, onde tem uma lojinha, lanchonete, banheiros e guarda volumes. Importante deixarem tudo que não pode molhar lá ou levar capinhas impermeáveis, porque até no passeio seco molha.

 

Macuco Safari

 

Escolhemos o passeio molhado, que passa por baixo de algumas quedas das Cataratas e tem 20 minutos de pura emoção. É muito válido! Se você escolher o passeio molhado, nem precisa gastar dinheiro com capa de chuva, coloque roupa de banho e entre no clima. Cuidado com óculos quando a queda bater no seu rosto, você pode ficar sem ele!

 

Macuco Safari

 

Acabando o passeio do Macuco Safari, pegamos outro bus que nos levava até o receptivo do Parque Nacional, para conhecer outro local. Dessa vez era só atravessar a rua do Parque Nacional do Iguaçu e já estávamos no Parque das Aves. O Parque tem uma variedade enorme de animais e faz um trabalho bem bonito de resgate a animais que foram contrabandeados ou maltratados e foram apreendidos pela Polícia Federal na fronteira. Vale muito a visita!

 

Parque das Aves

 

Saindo do Parque das Aves, pegamos um transporte de volta para nosso hotel, que já estava incluído no pacote. Chegamos ao hotel muito cansados e tínhamos que descansar porque o próximo dia seria ainda mais puxado, pois, iríamos conhecer o lado argentino das Cataratas.

 

DIA – 03:

 

Neste dia saímos do hotel bem cedo com destino as Cataratas do lado argentino. Puerto Iguazu é a cidade argentina que faz fronteira com Foz e dá acesso as Cataratas.

 

O nosso guia recolheu nossos passaportes ainda na saída do hotel, para que a nossa passagem pela Aduana Argentina fosse breve. E realmente foi…

 

Às 09:30 já havíamos chegado ao Parque Nacional Iguazu e com os tickets em mãos, começamos nosso passeio com um guia brasileiro. O Parque do lado argentino é enorme, afinal, 75% das 275 quedas se encontram nele. Fizemos uma caminhada breve de menos de 1 hora passando por diversos mirantes e posições diferentes das quedas, chegamos até a estação de trem que dá acesso a outra parte do parque, alí literalmente cozinhamos no sol por quase 1 hora. Nessa estação tem banheiros, lanchonete, praça de alimentação e pra variar, muitos quatis. Uma dica é NUNCA ir aos Parques aos finais de semana. Mas no nosso caso, como só tínhamos o final de semana, essa foi a única opção!

 

Diversos pontos de observação
Muita beleza

 

Após descermos do trem, seguimos trilha até a Garganta del Diablo, passamos por muitas quedas excelentes para fotos. Depois de algum tempo de caminhada, chegamos a tão esperada Garganta del Diablo e enfim, nesse ponto, pega 3G brasileira… consegui carregar meus snaps e até esqueci do sol escaldante que fazia. A Garganta é um show da natureza! E é nesse momento que você percebe que é só mais um pequeno ser perto da imensidão da natureza e da força das águas. Gente! É muita água… muita mesmo! Simplesmente um espetáculo.

 

Lugar magnifico
Garganta do Diabo
Muita energia nesse lugar

 

Voltamos pela mesma trilha que pegamos na ida. Chegamos e logo conseguimos pegar o trem de volta para a entrada/saída do Parque. Após essa etapa, teremos mais uma pequena trilha com mirantes e logo estaremos na praça de alimentação do Parque, que tem vários restaurantes, churrascarias e comida italiana. Gostei bastante da minha milanesa com papas fritas e arroz que pedi no primeiro restaurante da esquerda, que agora não me recordo o nome.

 

Depois do almoço das 15h retornamos ao nosso hotel e chegamos por volta das 17h. Foi um dia incrível.

 

DIA – 04:

 

Nosso dia começou corrido. Havíamos marcado nossa visita a Usina Itaipú Binacional logo no primeiro horário, às 8h.

 

Pegamos um táxi no nosso hotel com destino a Itaipú. Não me recordo do valor que pagamos pela corrida, mas o percurso durou mais ou menos 20 minutos. Tudo em Foz é longe, acostumem-se!

 

Importante frisar, que este passeio deve ser agendado e pago (R$74 – circuito especial) antecipadamente pela internet, para não ter surpresas ao chegar a Usina. Outros pontos que devem ser lembrados é que se deve chegar a Usina pelo menos 30 minutos antes, para cumprir todos os trâmites e é terminantemente proibido usar short, blusas cavadas e sandálias que deixem os dedos a mostra para fazer a visita. Precisam estar cobertos!

 

Chegando a Itaipú fomos trocar nossos vouchers por ingressos na bilheteria, para validar a nossa visita. No balcão principal logo ao lado da bilheteria, você pode carimbar o seu passaporte com um carimbo especial de Itaipú, somente a título de coleção mesmo, sem validade legal. É só fazer a solicitação a um dos funcionários que estiverem lá, que prontamente eles te atenderão e você terá mais um carimbinho no seu passaporte.

 

Escolhemos o Circuito Especial, é o passeio mais completo e que passa por todos os principais pontos da Usina. A visita começa com um pequeno filme que conta sobre a construção e mostra do que a Itaipú é capaz. Depois, deixamos todos os nossos pertences em um guarda volumes e só levamos documento com foto, crachá de identificação e o capacete, que em momento algum da visita, pode ser retirado da cabeça.

 

Vista dos vertedouros
Vista Panorâmica
Entrada da Usina

 

Passamos por cima dos vertedouros, que por sorte estavam ligados, já que isso só acontece 10% do ano sem data prevista. Depois fomos até a Bacia do Rio da Prata, uma imensidão de água que é uma das Bacias abastecedoras da Maior Geradora de Energia Limpa do Mundo.

 

Bacia do Rio da Prata

 

Enfim, entramos na usina… conhecemos o poço dos esquecidos, o eixo das turbinas funcionando, a sala de comando e muitas outras partes importantes. O passeio dura 02:30 e é um dos valores mais bem pagos de toda a viagem. Saber que você está visitando uma coisa tão importante para a humanidade, não tem preço!

 

Sala de controle

 

Saindo da Usina, pegamos um táxi e em mais ou menos 15 minutos estávamos no Templo Budista. A entrada é gratuita e não precisamos mais de 20 minutos para conhecer o lugar. Muito bem conservado e limpo, é ótimo para fotos e para curtir a paz que todo templo budista nos transmite. O taxista no esperou para nos levar de volta ao hotel.

 

Chegamos ao hotel e ficamos esperando uns amigos que moram em Foz nos buscar para almoçar e conhecer o Cataratas JL Shopping. Almoçamos no “Madero Burguer & Grill” e só para variar pedi o cheeseburguer maravilhoso de lá.

 

Após o Shopping fomos conhecer e experimentar os famosos doces árabes da “Albayan”, que fica em frente à Mesquita Muçulmana Omar Iben Khattab, que infelizmente estava fechada para visitação devida à reforma e também por ser domingo. Mas a ida valeu demais só para comer aqueles doces maravilhosos.

 

Retornamos ao hotel para nos arrumar, porque a noite voltaríamos a Puerto Iguazu, mas dessa vez, para curtir o famoso Ice Bar Iguazu.

 

Chegamos ao Ice Bar já com os ingressos comprados e também com horário marcado. Colocamos as roupas e entramos. O Ice bar é open bar por 30 minutos e você fica numa temperatura de -12º. O local rende muitas fotos e as bebidinhas que eles servem são ótimas, destaque para a de melancia e a de chocolate. Queria mais! Um ponto que achei negativo, é que as fotos tiradas lá pelos fotógrafos do Bar, são reveladas e você não tem o direito de levar no pen-drive, se quiser, somente reveladas mesmo.

 

Ice bar
Frio? Quase nada!

 

Após o Ice Bar, fomos conhecer o centro de Puerto Iguazu. Nosso guia nos levou para conhecer a “Capriccio Alfajores Gourmet”, onde tivemos degustação de alfajores e doces de leite variados, um mais delicioso que o outro. No final, quem gostou, poderia adquirir o produto na lojinha. Logo mais a frente, fomos conhecer a Avenida Brasil, a famosa rua de 7 cruzamentos sem sinalização alguma. É bizarro! Difícil de entender como não tem batida alí todos os dias.

 

Fizemos umas compras na lojinha de souvenir da esquina e depois fomos comer no “The Living Room”, que tinha uma comidinha gostosa com o preço ótimo. Por fim, nossa experiência em Puerto Iguazu foi essa… chegamos ao hotel já era perto de 23:30, cansados, porém felizes, por ter dado tempo de conhecer tudo que queríamos conhecer.

 

DIA – 05:

 

Logo cedo partimos para o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, onde a recomendação é chegar 2 horas antes dos voos nacionais. E logo entendi por que…

 

Temos que passar pelo raio-x da Polícia Federal antes de despachar qualquer bagagem. Se você não declarou aquilo que comprou no Paraguai quando passou pela Receita Federal da Aduana, se for pego agora, nem multa adiantaria pagar, pois a mercadoria é apreendida e pronto! Portanto, minha dica é: se vai comprar algo valioso no Paraguai e que exceda a cota de US$300 por pessoa, declare na Receita Federal do Brasil que fica na Ponte da Amizade, por que você corre o risco de ficar sem nada se for pego no aeroporto. Como eu não tinha excedido minha cota, passei tranquila pela Polícia Federal e despachei minha bagagem. O aeroporto de Foz é minúsculo e não tem muitas opções de alimentação, portanto, faça um bom lanche antes de ir para o aeroporto, para não passar fome.

 

O dia estava chuvoso, sentei do outro lado da aeronave para ver se dessa vez, conseguiria ver as Cataratas de lá de cima, mas a chuva não ajudou nada.

 

Bom, este foi o meu relato sobre minha passagem por Foz do Iguaçu. Espero que tenha ajudado quem leu e pretende ir.


Este artigo foi escrito por: Pâmella Miranda

 

Pâmella em Foz do Iguaçu

Pâmella é formada em Administração de empresas e trabalha como produtora de eventos, mas suas verdadeiras paixões são: fotografia, aventura e viagens.

 

IG de Viagens: @tripsdapam

IG Pessoal: @pamellamiranda

 

 



ORGANIZE SUA VIAGEM

 

Organizando sua viagem através de nossas parcerias abaixo, você garante as melhores condições e nos ajuda a manter o blog.

 


 

10 comentários em “Roteiro de 5 dias em Foz do Iguaçu, Argentina e Paraguai

  • 1 de agosto de 2017 em 2:58 pm
    Permalink

    Ola, vou viajar para Foz e o seu relato me ajudou muito, mas uma duvida, esse valor do combo que vc pegou, R$498, é para uma pessoa?

    Resposta
    • 1 de agosto de 2017 em 6:18 pm
      Permalink

      Olá que bom que o artigo lhe ajudou! Ficamos felizes com isso! Sim, valor para uma pessoa! 😉

      Resposta
  • 12 de julho de 2017 em 12:40 pm
    Permalink

    ADOREIIII seu relato sobre a viagem…estou programando para ir em Novembro..montando meus roteiros <3

    Resposta
    • 12 de julho de 2017 em 12:56 pm
      Permalink

      Que bom que gostou Renata! Temos certeza que você vai amar a cidade! Ja estivemos 3 vezes e sempre estamos com vontade de voltar! Sem falar na melhor pizza e melhor limonada suiça ever! 🙂

      Resposta
  • 11 de julho de 2017 em 12:44 am
    Permalink

    Adorei seu relato. Estou indo sábado e gostaria de comprar uma gopro no paraguai, no shopping que vc citou. Excede os 300 dolares? Estou por fora de valor.

    Resposta
    • 11 de julho de 2017 em 1:33 am
      Permalink

      Que legal…você vai adorar! Muito provável exceda o valor, não posso afirmar, mas penso que você na terá problemas…

      Resposta
  • 27 de junho de 2017 em 1:01 am
    Permalink

    Olá! tudo bem?
    Poderia dar o contato do guia que você contratou?
    Obrigada

    Resposta
    • 27 de junho de 2017 em 1:11 am
      Permalink

      Ola Isabela, Tudo bem Nao tenho o contato dele, mas aconselho ligar para o hotel. La eles poderão te informar certinho! 😉

      Resposta
  • 19 de abril de 2017 em 8:07 am
    Permalink

    Olá, gostaria de saber com qual agência você fechou o seu pacote de passeios, e se nesse valor de 498,00 já estava incluso a entrada também??

    Resposta
    • 19 de abril de 2017 em 4:00 pm
      Permalink

      Olá Fernanda, Tudo bem? Foi fechado com uma agencia dentro do hotel! Muito provável todos os hotéis tenha esse serviço! Quanto aos ingressos..sim, estavam inclusos no valor! 😉

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Show fb like box