O que fazer em Buenos Aires em 5 dias


Já tinha muito tempo que eu queria visitar Buenos Aires, mas sempre aparecia uma viagem antes e eu acabava deixando para depois, mas sempre estava pensando a respeito do meu roteiro sobre o que fazer em Buenos Aires em 5 dias.

 

O dia que realmente sentei e resolvi pensar seriamente e ir, coloquei tudo no papel e fui pesquisar. Li que no outono o clima era mais fresco e pelo fato de querer conhecer tudo que pudesse em 4 ou 5 dias, seria a estação ideal. A data da viagem foi de 20 a 24 de abril de 2015.

 

Nesta mesma viagem, resolvi incluir o Uruguai no roteiro e fiquei 4 dias no país. Comecei por Montevidéu, passei por Punta del Este e peguei uma embarcação em Colônia del Sacramento que tinha como destino Buenos Aires. Começarei contando como foi minha saída de Colônia para Buenos Aires e os dias seguintes até a volta para o Brasil.

 

1º DIA:

 

Ainda em Colônia del Sacramento – Uruguai, mais uma vez arrumamos nossas malas e partimos bem cedo para o Terminal Fluvial de Colônia, onde pegaríamos o Buquebus (embarcação que faz o trajeto de 50km de Colônia del Sacramento para Buenos Aires pelo Rio da Prata). O Terminal é super organizado! Parecia que estávamos em um aeroporto mesmo. Muito bacana! Foi a primeira vez que viajei de um país a outro em embarcação.


  • Saia do Brasil conectado com internet ilimitada da melhor qualidade.  Com a Easysim4u sua viagem será muito melhor

No trajeto balança um pouco e para quem sente enjoo, como eu, aconselho tomar dramin ou plasil, para não estragar a viagem. O trajeto até Buenos Aires é de aproximadamente 1 hora. Pagamos menos de R$100 pela travessia (não me lembro com exatidão), mas é importante lembrar que estes bilhetes podem ser comprados com antecedência no Terminal de ônibus de Montevidéu, pelo site da Buquebus ou no Terminal Fluvial em Colônia. Porém, fique atento! Deixar para última hora, pode atrapalhar sua viagem.

 

Buquebus

 

Chegamos à Buenos Aires bem cedo, passamos pela Imigração do Terminal Fluvial e logo estávamos liberadas. Então pegamos um táxi e fomos diretamente para o Hotel deixar as malas. Fizemos o check in e fomos andar!

 

A primeira parada foi o Puerto Madero, famoso setor financeiro e gastronômico da capital argentina, onde se concentram bancos, famosos restaurantes, bares, pubs, casas de tango e a Puente de la Mujer. Ficamos por lá algum tempo caminhando e almoçamos no Restaurante Madero Buenos Aires (não é a famosa rede que conhecemos aqui no Brasil. Mas o restaurante também é muito bom. Self service com churrasco e um buffet maravilhoso). Encontramos até a atriz global Alexandra Richter (atualmente trabalha no Programa Zorra Total) almoçando com a família. Ela foi super educada, por sinal, quando viu que éramos brasileiras.

 

Puerto Madero

 

Saindo do restaurante, partimos para a Calle Florida, a mais famosa rua de compras de Buenos Aires. Lá você encontra de tudo: sapatos, roupas, jaquetas de couro verdadeiro, souvenir, lanchonetes, fast foods, perfumaria… um verdadeiro parque de diversões para quem gosta de comprar.

 

Foi lá também que achamos as melhores cotações para trocar real por pesos argentinos. Eles ficam na rua gritando: CAMBIO CAMBIO CAMBIO. Mas muitas pessoas já me perguntaram se é seguro. Eu digo: pode trocar sim… Eles vão te levar para as “casas de cambio” dentro das galerias, mas SEMPRE confiram se te passaram o valor certo, porque alguns costumam dar um de espertos pra cima dos turistas.

 

Na Calle Florida foi onde compramos os passeios para o Zoo de Luján e para o show de Tango. Na rua mesmo, muitos irão te oferecer de diferentes preços. O segredo é pechinchar e tentar o menor preço. Lembro que pagamos algo em torno de $800 pesos argentinos (R$200) em cada passeio.

 

Uma curiosidade é que quando nós, mulheres brasileiras pisamos na Florida, sem você abrir a boca, eles já saberão que você é brasileira, só pelo seu jeito de vestir. As mulheres argentinas no geral não tem muita vaidade, bem diferente das brasileiras que sempre estão maquiadas, bem vestidas e são muito expansivas.

 

Depois de um dia bem cansativo de pegar embarcação do Uruguai para a Argentina e caminhar o dia todo, resolvemos passar na famosa Havana ali da Florida, lanchar e partir para o Hotel para descansar, já que no dia seguinte iríamos conhecer Luján.

 

Havana

 

Uma dica importante: pegue um hotel nas proximidades da Calle Florida. Fica mais prático para se locomover sem precisar de depender de transporte. Ficamos no Hotel Concorde.



 

DIA:

 

Nosso dia começou bem cedo. Às 8 da manhã o micro-ônibus do nosso passeio nos buscou no Hotel. O passeio tinha transporte de ida e volta, parada para conhecer a Basílica Nuestra Señora de Luján e entrada no Zoo de Luján incluídos. A cidade de Luján fica a 67 km do centro de Buenos Aires.

 

Basílica de Lujan

 

A primeira parada foi na Basílica Nuestra Señora de Luján. Uma construção imponente toda em estilo neo gótico, que fica na praça central da cidade. Suas torres tem mais de 100 metros de altura, fazendo com que a Basílica seja avistada de diversos pontos da cidade. O nosso guia nos deu 30 minutos para fotos e para conhecer a praça e a Basílica. Foi o suficiente. Depois partimos para o Zoo.

 

Chegando ao Zoo de Luján, um funcionário entrou no micro-ônibus, nos deu algumas instruções de como agir em determinadas situações e como seriam os animais que encontraríamos por lá. Terminando a explicação, ele perguntou quem gostaria de adquirir por $10 pesos argentinos (R$2,50) um saquinho cheio de pão velho, milho e outras coisinhas para alimentar e manter os animais mais próximos de nós. Gente! Quando eu desci do bus, já dei de cara com uma llama kkkkk… eles ficam já a espera dos turistas para ganhar comida. Os turistas que descem sem saquinhos na mão, os animais nem dão moral se chamar. É até engraçado o quanto eles são “interesseiros” kkkkkk

 

O Zoo de Luján é alvo de diversas críticas e especulações sobre como os animais são tratados. Eu resolvi ir e tirar as minhas próprias conclusões e sinceramente? Não me arrependi nem um pouco. Porque vi que os animais são bem tratados, respeitam seus tratadores e notei também, que todas as jaulas tinham cachorros. Me disseram, que muitos dos animais tem o mesmo tratamento de um cachorro e que eles também pensam que são. Então pensei, que engraçado um leão, o rei da selva, achando que é um cachorro… mas, o importante é que fui e vi de perto como tudo funcionava lá. Por onde andamos, sempre somos acompanhadas por diversas llamas e por infinitos patos gritando querendo milho. kkkkkkkkkkk

 

Zoo Lujan – Lhamas

 

A primeira parada foi na fila da jaula do tigre (sim gente! tudo tem fila lá). Dentro da jaula ficam dois tratadores e dois tigres. As pessoas entram de 1 em 1, tiram fotos e saem (correndo kkk). Fiquei com cara de medo na minha foto, mas a experiência é única e valeu demais.

 

Depois fomos para a jaula dos filhotes de tigres. Que coisinhas mais fofas… apesar de filhotes, são pesados e ficam comendo coxinha de galinha o tempo todo que estão posando para fotos. Alguns dormem, enquanto outros ficam tirando fotos.

 

A próxima jaula foi a mais esperada: a do Leão. Alí sim a fila era enoooooorme. Ficamos mais ou menos 30 minutos na fila e pudemos entrar as 5 amigas de uma só vez. Cada uma tirou a sua foto individual e depois tiramos uma de todas as amigas reunidas. Olha, a sensação de estar ao lado de um animal tão imponente na natureza é única. Todos deveriam ir.

 

Zoo Lujan – Leão

 

Quando saímos da jaula do leão, já estava perto de 12:30. Existe somente um refeitório no Zoo, mas os preços são bons e a comida também. Não vou me recordar com certeza do valor que paguei, mas pedi uma milanesa de carne com papas fritas e estava uma delícia.

 

Depois que repomos a energia fomos visitar as cobras, lagartos e araras. Eles ficam num lugar meio escondido, mas pelo mapa (que entregam na entrada) vocês vão achar muito rápido. Não tive coragem de tirar com a cobra e nem com o lagarto, mas com as araras foi bem legal. É uma oportunidade única, aproveitem… saindo de lá, fomos para uma gaiola gigante, onde podemos alimentar as araras. Uma mais maravilhosa que a outra, elas vem comer na sua mão. Eu fiquei encantada!

 

Zoo Lujan – Araras

 

O próximo animal que visitamos foi o elefante. Que fofuuuuuura! Assim que você entra no local onde ele fica, te entregam frutas e te colocam na posição certa para a foto. Quando o fotografo dá o comando, você levanta a fruta e ele come na sua mão… eu adorei a experiência.

 

Saindo de lá fomos ver de perto as focas e o urso, que você também tem a chance de alimentar e aí bate aquela vontade de levar ele pra casa, porque são muito fofos mesmo! Bem próximo desses tanques, fica um acervo de carros antigos que o dono do Zoo coleciona. É bem bacana de visitar e está incluso no valor que pagamos para entrar no Zoo. Por volta das 17h, partimos de volta para Buenos Aires.

 

Pedimos para o motorista nos deixar na Avenida 9 de Julho, a maior do mundo e a mais importante de Buenos Aires. Paramos próximo ao Obelisco e tiramos muitas fotos, já que é um dos pontos turísticos mais conhecidos da cidade.

 

Obelisco

 

De lá fomos para o Hotel, já que às 20h nos buscariam para irmos ao show de Tango.

 

Pontualmente às 20h eles chegaram. Nosso passeio estava incluso ingresso, transporte de ida e volta para o show no Madero Tango, uma foto nossa impressa, open bar de vinho argentino, espumante, água e refrigerante e 3 refeições no jantar (entrada, prato principal e sobremesa) que poderíamos escolher lá na hora mesmo. Olha, o show foi incrível, a comida e as bebidas também. É uma excelente experiência para quem gosta de conhecer a cultura do país que está visitando. Acabando o show, voltamos para o Hotel. No outro dia de manhã iríamos conhecer a cidade.



 

DIA:

 

O nosso dia começou um pouco mais tarde, já que estávamos cansadas da noite anterior. Fomos direto para a Plaza de Mayo, onde ficam os principais prédios do governo, incluindo a Casa Rosada, que é a sede da Presidente da República. Ficamos horas por ali tirando fotos e conhecendo os prédios da Plaza de Mayo. Quando terminamos, descemos para o Puerto Madeiro, mais ou menos 10 minutos de caminhada, para almoçar. Indico muito o Restaurante Cabaña las Lilas. Ambiente agradável, vista linda para o Puerto Madero e um atendimento incrível. O preço é um pouco salgado, mas estávamos precisando de uma refeição melhor, depois de tantos dias de viagem.

 

Casa Rosada
Restaurante Cabaña

 

Logo após o almoço pegamos um táxi em direção ao bairro da Recoleta, onde fica o tão famoso Cemitério da Recoleta, que foi nossa primeira parada. Ficamos mais ou menos 1 hora andando. O Cemitério se tornou um ponto turístico em Buenos Aires porque muitas personalidades famosas estão enterradas lá. O túmulo mais visitado é o de Evita Perón, conhecida como a “mãe dos pobres”, idolatrada por muitos e odiada por tantos outros na Argentina. Durante toda a visita, sempre tem um guardinha pedindo silêncio.

 

Cemiterio da Recoleta

 

Saindo do Cemitério, descemos até a passarela para atravessar a Avenida Figueroa Alcorta e conhecer a Floralis Generica. Passamos também em frente a famosa Faculdade de Direito, um prédio lindo que abriga a primeira Faculdade de Direito de Buenos Aires. Logo ao lado, na Plaza de las Naciones Unidas, está a imponente Floralis Genérica, escultura metálica gigante que abre e fecha conforme a luz do sol, dando o mesmo ar de realidade que uma flor verdadeira.

 

Faculdade de Direito
Floralis Generica

 

Já estava perto do pôr do sol, quando pegamos um táxi e decidimos ir conhecer o Café Tortoni, lenda da cidade de Buenos Aires e o mais representativo espírito tradicional da Avenida de Mayo. Quando entrei, fiquei de cara encantada, pois lembra muito a Confeitaria Colombo do centro do Rio de Janeiro. Todos aqueles vitrais, colunas enormes, tudo tudo em estilo antigo. Estátuas também estão espalhadas pela cafeteria, além de um pequeno teatro e um museu. Tudo de muito bom gosto.

 

Café Tortoni

 

Saindo de lá, voltamos a pé para o Hotel e passamos novamente no Obelisco para tirar umas fotos com ele iluminado.

 

DIA:

 

Foi dia de conhecer outros bairros de Buenos Aires. Pegamos um táxi e partimos para o bairro La Boca. Digamos que é uma espécie de periferia de Buenos Aires. No bairro é bom evitar andar sozinha e com celular e câmeras a mostra. Todos recomendaram cuidado!

 

A primeira parada no bairro foi no Estádio La Bombonera, do time Boca Juniors. Mas só tiramos fotos por fora, ninguém quis entrar. De lá, fomos para a parte mais boêmia do bairro La Boca, a região do Caminito, tão conhecido por suas cores arregaladas e com diversos barzinhos ao seu redor. Tiramos muitas fotos e o mesmo taxista nos deixou no Parque El Rosedal, no bairro de Palermo. Mas antes de começar a caminhada para conhecer tudo, almoçamos no Mc Donalds em frente a entrada do parque.

 

Estadio La Bombonera

 

O Parque El Rosedal ou Rosedal de Palermo, tem entrada gratuita e é um dos parques mais encantadores que visitei. Por termos ido no outono, muitas das flores ainda não estavam florescendo. Mas na primavera, florescem de 12.000 a 18.000 rosas somente no Jardim de Rosas (uma parte do parque). Já quero voltar na primavera somente para ver este espetáculo. Depois de muito caminhar, descobrimos que o parque tem um lago e descobrimos que neste lago, poderíamos alugar pedalinhos para andar. Foi a nossa diversão por 1 hora. Andamos pelo parque todo, conhecemos muita coisa linda, uma tarde inesquecível.

 

Parque El Rosedal

 

Quando saímos do parque, pegamos outro táxi e fomos visitar o Jardim Japonês, também no bairro de Palermo. Nossa! Que lugar mais lindo… merece muito os quase R$25 que pagamos pela entrada, já que este valor é destinado integralmente para a manutenção do Jardim, que é todo cuidado pela comunidade japonesa de Buenos Aires. Ficamos mais ou menos 1 hora e meia conhecendo cada cantinho. Tudo muito lindo e de bom gosto!

 

Jardim Japones

 

Como já estava quase anoitecendo, resolvemos voltar para o nosso Hotel e fazer as malas, pois no dia seguinte, retornaríamos para o Brasil em um voo logo após o almoço.

 

DIA:

 

Hora de voltar para casa… logo ao acordar, vi no globo.com que um vulcão havia entrado em erupção no Chile no dia anterior e que por causa das cinzas, os voos para alguns destinos, estavam sendo cancelados. Graças a Deus, os voos para o Brasil estavam todos confirmados, somente os voos para o Chile, Patagônia e toda aquela região mais ao sul foram cancelados.

 

E assim foi a minha experiência e a das minhas amigas nessa viagem por Buenos Aires. A viagem toda durou 9 dias, pois 4 dias ficamos no Uruguai (conhecemos 3 cidades) e 5 dias em Buenos Aires. Foi incrível!

 

Buenos Aires é um destino dá para conhecer em poucos dias, já que direto vemos passagens em promoção. Ir na quinta e voltar no domingo, dá tempo suficiente de conhecer tudo isso que citei no meu roteiro. Fiquem de olho nessas promoções e aproveitem!


Este artigo foi escrito por: Pâmella Miranda

 

Pâmella em Foz do Iguaçu.

Pâmella é formada em Administração de empresas e trabalha como produtora de eventos, mas suas verdadeiras paixões são: fotografia, aventura e viagens.

 

IG de Viagens: @tripsdapam

IG Pessoal: @pamellamiranda

 

 

 



 

ORGANIZE SUA VIAGEM

 

Organizando sua viagem através de nossas parcerias abaixo, você garante as melhores condições e nos ajuda a manter o blog.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Show fb like box